Bem vindo à Clínica DE Psicologia Cognitiva

(11) 4108-2888

(11) 94862-2916

Sem categoria

Comments: Nenhum comentário

Vivemos um tempo onde as pessoas precisam mostrar-se felizes e alegres e os sentimentos negativos são tidos como imperfeições que precisam ser disfarçadas, filtrados ou apagadas. Cada vez mais as pessoas lidam menos com suas emoções e buscam, a qualquer custo, formas de anestesiar a dor e o desconforto emocional para esquecer o que sentem.

Nessa busca desesperada por anestesia, muitos encontram alívio no álcool, abusam de remédios, comem demais, compram o que não precisam. Mas quem precisa anestesiar o que sente? Aqueles que não conseguem lidar com suas emoções e conflitos internos.

O comer emocional é uma resposta impulsiva diante de emoções negativas. As pessoas comem por estarem tristes, ansiosas, irritadas, preocupadas chateadas, solitárias, carentes, estressadas, exaustas, entediadas.

Quando não conseguimos lidar com nossos sentimentos, pensamentos e emoções tendemos a buscar compensações para diminuir o desconforto gerado. Os excessos que cometemos na vida sempre indicam que estamos querendo amenizar alguma dor ou preencher algum vazio.

Sempre que alguém come para satisfazer a fome emocional se arrepende, sente-se culpado, envergonhado e sofre. Quando você come para satisfazer a fome física é improvável que se sinta culpado ou envergonhado porque você está simplesmente dando ao seu corpo o que ele precisa.

A comida passa, então, a ser o foco e a emoção e o conflito gerador de tal emoção ficam em segundo plano, anestesiados. Dessa forma, ficamos presos num “loop” nada saudável, onde o sentimento real e o problema sempre são mascarados pelo “comer disfuncional”.

Entender quais situações ou sentimentos ativam a sua fome emocional pode te ajudar a desenvolver uma estratégia para lidar melhor com essas situações ou sentimentos e estabelecer uma relação saudável com sua alimentação. O Comer Emocional é um comportamento aprendido e pode também ser modificado.

Se você se sente culpado depois de comer, é provável que no fundo você não esteja comendo por razões nutricionais. Cabe a cada um de nós aprendermos a olhar para o nosso interior, encarar as nossas feridas e assim crescer e se desenvolver.

 

Daniela Nanni
Psicóloga Cognitivo Comportamental

Compartilhar
Deixe uma resposta