Bem vindo à Clínica DE Psicologia Cognitiva

(11) 4108-2888

(11) 94862-2916

Sem categoria

Comments: Nenhum comentário

Quantas vezes nos sentimos ofendidos, tristes, irritados com atitudes dos outros ou com uma situação desagradável? Estas reações são comuns e fazem parte do comportamento humano. O problema surge quando os sentimentos negativos começam a aflorar e acabam nos desgastando. Aprender a ignorar pessoas tóxicas envolve uma profunda mudança de atitude. Devemos aprender a abrir a mente e ver as coisas sob um outro ponto de vista. Então, se alguém se comporta mal com você, não deixe que isso altere seu equilíbrio psicológico!

Selecione e absorva apenas o que é útil para você

A inteligência emocional é uma capacidade complexa, e não só significa a capacidade de processar informações úteis ao seu bem-estar mental, mas também ser flexível o suficiente para ter autocontrole e “bloquear” informações inúteis. Pensando nisso, pesquisadores da Universidade de Rochester descobriram que as pessoas mais felizes têm uma característica em comum: são capazes de bloquear ou ignorar informações inúteis. O cérebro de pessoas com certo grau de felicidade automaticamente ignora informações irrelevantes. Assim, bloquear informações inúteis é sinal de grande inteligência vinda de um cérebro saudável e feliz.

Experiência na Universidade de Rochester

Um grupo passou por uma série de testes para avaliar sua inteligência emocional e, em seguida, assistiu vídeos mostrando objetos pequenos e grandes que se moviam ligeiramente para a direita ou para a esquerda em uma tela. O objetivo era identificar a direção do movimento. Porque sabemos que é mais difícil para o nosso cérebro rastrear os movimentos de objetos grandes, mas está finamente sintonizado para detectar movimentos mais sutis, uma vez que estes podem representar um perigo maior. Portanto, esta tarefa revela com que eficiência o nosso cérebro emocional funciona ao processar todos os tipos de estímulos. Esses psicólogos descobriram que as diferenças entre pessoas para identificar corretamente a direção do movimento de pequenos e grandes objetos tinham um forte relacionamento com seu quociente emocional. O padrão era claro: quanto mais difícil era detectar os grandes movimentos e quanto mais precisos eram com os pequenos, mais alto foi o quociente emocional. Este experimento simples refere-se a supressão, a capacidade de inibir informações irrelevantes que podem nos distrair do nosso objetivo.

Indubitavelmente, a capacidade de bloquear os elementos de distração do meio ambiente é essencial para se concentrar nos dados que são realmente relevantes e que nos permitem encontrar uma solução mais rápida, menos angustiante, menos estressante.

Bloquear o que não vale a pena é essencial para ser feliz

Ser capaz de ignorar tudo o que não vale a pena, nos permite processar informações de forma mais rápida, manter-nos focados em nossos objetivos, e também é essencial para nossa felicidade. De fato, uma das chaves do equilíbrio emocional é poder analisar os fatos em sua medida adequada, sem lhes dar mais importância do que merecem. Portanto, as pessoas mais felizes compartilham um traço comum: elas têm ouvidos surdos às coisas que prejudicam sua paz de espírito e que não lhes adicionam valor.

As pessoas inteligentes emocionalmente bloqueiam:

  • Críticas destrutivas: Esse tipo de opinião diz mais sobre quem critica do que sobre os criticados e não fornece um valor agregado.
  • Picuinhas passionais: Um revés não é motivo suficiente para arruinar o dia. É muito mais eficaz liberar rapidamente as emoções negativas que podem ser geradas por pequenos contratempos e conflitos do dia a dia.
  • Pessoas tóxicas: Para que possam nos prejudicar, devemos, primeiro dar-lhes o poder de fazê-lo. Portanto, as pessoas inteligentes emocionalmente não permitem que outros definam as suas emoções.
  • Monólogos negativos: É necessário dominar qualquer diálogo interno negativo e depreciador. Direcione seus pensamentos ou, até mesmo suas atitudes, para resultados positivos!

Por: Elayne Oliveira

Compartilhar
Deixe uma resposta